Criada em 1912


Rua Heriberto Hulse, S/N
Barreiros | São José SC


Horários das Celebrações


Em 1912, por iniciativa de diversos moradores, nessa comunidade, foi iniciada a construção de uma capela, medindo apenas 54m². Não se tem conhecimento de como conseguiram construí-la, ou de onde conseguiram os recursos, sendo que não há nada escrito.

A partir de 22 de março de 1948, após a Celebração Eucarística, apresentaram-se, na Sacristia da capela, os Senhores Bertholdo Dubiéla, Gentil Medeiros de Santiago, Vicente Ferreira e Anita Medeiro de Santiago. Essas pessoas conversaram com o Frei Germano, com a intenção de aumentar a capela, pois, até aquele momento, ninguém da comunidade havia se manifestado a esse respeito. A ampliação dela já era um sonho de muitos, mas ninguém tinha tido a coragem de se propor a começar.

Ficando, naquele momento combinado com o Frei Germano, que com esses nomes se formasse uma comissão, com a finalidade de angariar doações para a construção e ampliação da capela. A comissão ficou, assim, constituída: Gentil Medeiro de Santiago —Presidente; Vicente Ferreira —Vice-presidente; Bertholdo Dubiéla —Tesoureiro e Anita Medeiro de Santiago — Secretária.

O Frei Germano, demonstrando boa vontade, providenciou na Matriz Nossa Senhora de Fátima, no Estreito, algumas listas de doações para que a comissão tivesse como pedir ajuda financeira à comunidade. Alguns dias depois, foram entregue-as aos membros, os quais saíram nas casas das pessoas, as quais ajudaram.

Assim, a comissão, com muito empenho, juntamente com toda a comunidade, em 14 de novembro de 1948, realizou a festa da pedra fundamental da ampliação da capela, onde já os alicerces estavam levantados, pois a comissão havia começado a obra no dia 18 de outubro do mesmo ano (1948).

Em janeiro de 1949, assumiu nova comissão, assim constituída: Júlio Müller —Presidente; Vicente Ferreira —Vice-Presidente; Aylton Müller —Tesoureiro; Anita Medeiro de Santiago- Secretária e Bertholdo Dubiéla —Procurador. Durante esse ano, foram realizadas cinco festas para conseguir dinheiro a fim de continuarem as obras.

Em janeiro de 1952, ocorreu a inauguração da capela, com a capacidade que tem até hoje, tendo sido mudado o telhado e o reboco externo.

Em 12 de novembro de 1954, tomou posse a nova comissão, assim constituída: Ênio de Castro Vandraes —Presidente; Paulo João dos Santos —Vice-Presidente; Antenor Valentim da Silva —Primeiro Tesoureiro; Manoel Belarmino da Silva —Segundo Tesoureiro; Anita Medeiro de Santiago – Primeira Secretária; Arlindo Meira —Segundo Secretário; Bertholdo Dubiéla —Primeiro Procurador; Germano Francisco Pereira —Segundo Procurador; Arlindo Faria —Primeiro Conselheiro; Osvaldo José Amaral —Segundo Conselheiro e José de Souza —Terceiro Conselheiro. Nesse ano, foi instalada a rede elétrica na capela. No ano de 1955, foi adquirido o prédio ao lado, que ainda continua devidamente restaurado. No mesmo ano, foi adquirido um ostensório, que hoje está na matriz dos Sagrados Corações e, juntamente, foi adquirida uma cruz procissional, que também se encontra na matriz.

Em 25 de outubro de 1957, chegaram a esta comunidade os Missionários, os quais tiveram uma grande recepção. Esteve, com esses, o nosso saudoso Bispo Dom Felício de Vasconcelos e permaneceram na comunidade três dias. Devido a esses três dias de Missões nesta comunidade, de 25 a 28 de outubro de 1957,é que a comunidade de Nossa Senhora de Lourdes e a Paróquia dos Sagrados Corações contaram com um Diácono permanente.

Em 1959, foram adquiridas pela comissão as imagens do Senhor Morte e de Nossa Senhora das Dores, que estão atualmente na Matriz.

Em 1960, começou-se a pensar em instalação da Paróquia, que foi concretizada em 11 de fevereiro de 1961, às 19 horas com a presença do Arcebispo Dom Joaquim Domingues de Oliveira.

Assumiu a Paróquia o Pe. Justino Cortjens, e como vigários paroquiais, o Pe. Venâncio e o Pe. Agostinho.

A capela Nossa Senhora de Lourdes foi Matriz durante quatro anos. Em 1964, começou a construção da Matriz dos Sagrados Corações. A capela Nossa Senhora de Lourdes foi berço do catolicismo de Barreiros. Os encontros de todos os eventos religiosos eram nesta comunidade, da Rádio Jornal a Verdade até Serraria. Depois de muito tempo da criação da paróquia que começaram a surgir outras comunidades.